Uma das formas mais conhecidas de manutenção das obras realizadas pela Igreja provém da colaboração dos seus fiéis, através da oferta do dízimo. Porém, com a pandemia do COVID-19 e por consequência do fechamento das igrejas esse recurso está sendo prejudicado. O valor que é recebido é fundamental para a manutenção do espaço físico das igrejas, para o sustento das obras de caridade que são realizadas, para o pagamento das despesas fixas como água, luz e funcionários. Por isso a continuidade durante a quarentena é tão importante.

Algumas paróquias da Arquidiocese encontraram outras alternativas para que seus fiéis tivessem a possibilidade de dar continuidade à oferta do dízimo. É o exemplo da Paróquia Nossa Senhora de Fátima e Santa Teresinha do Menino Jesus, do bairro Estreito, em Florianópolis. Ao final de cada missa que é transmitida através das redes sociais da paróquia, é incentivado que os dizimistas, e quem quiser colaborar com as obras evangelizadoras, que deem continuidade à ofertar o dízimo. Os fiéis podem realizar à oferta do dízimo através de transferência ou depósito bancário em conta corrente em nome da Paróquia, sem precisar sair de casa.

O pároco, Padre Mário José Raimondi, destaca que “utilizar desses mecanismos foi uma forma que encontramos para nos comunicar com nossos dizimistas, dando a eles a oportunidade de cumprir seu compromisso cristão, já assumido por cada um, e assim tentar incrementar um setor que sabemos, é um dos meios que todas as paróquias têm para suprir e sustentar suas necessidades financeiras, a estrutura física, o pessoal de um corpo enxuto de funcionários e as suas obras assistenciais”.

Entre em contato com a secretaria da sua paróquia e se informe sobre como você pode continuar ajudando através do pagamento do dízimo. Sua ajuda é de grande importância para a manutenção e realização das obras evangelizadoras da Igreja.

Matéria publicada na edição de maio de 2020 do Jornal da Arquidiocese, página 10.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário